Seguro para moto: como escolher?

Os mototaxistas, assim como qualquer profissional que trabalhe com seu veículo, têm uma preocupação diária com segurança. Para isso, existem inúmeras seguradoras com os mais variados serviços no mercado. Diante de tanta opção, fica a dúvida: como escolher o melhor seguro para moto?

Em primeiro lugar, é preciso saber que existem dois tipos mais comuns de seguro: o não-compreensivo e o compreensivo.

Em síntese, o seguro não-compreensivo é o serviço mais básico que cobre apenas situações específicas. Perda total da motocicleta (danos acima de 75%), roubo e furto costumam ser as coberturas oferecidas. No caso de perda total, o valor da indenização será de acordo com a tabela FIPE.

Já o seguro compreensivo oferece uma cobertura completa em uma única apólice. Além disso, ele também costuma oferecer indenização (geralmente 50% do valor) em perdas parciais, ou seja, quanto a motocicleta sofrer danos menores que 75%.

Serviços da cobertura completa

É fundamental estar prevenido para qualquer imprevisto que possa acontecer na sua rotina de mototaxista. Mas quais problemas podem acontecer e o que o seguro cobre? O maior deles – e que ninguém quer que aconteça – é o roubo ou furto. Porém, infelizmente isso pode acontecer e você precisa estar amparado para que seu trabalho não seja afetado. Por isso, os planos compreensivos oferecem indenização quando a motocicleta não é encontrada ou quando sofre danos superiores à 75% do total.

Outro problema que pode acontecer é uma colisão. A cobertura compreensiva protege a moto em caso de colisão, capotagem, quedas acidentais, danos na pintura ou na lataria. Além disso, os faróis, retrovisores e lanternas também são substituídos em caso de danos aos mesmos. No mais, equipamentos de proteção como capacete e jaqueta também podem ser reembolsados em algumas seguradoras.

Um serviço que você pode encontrar nas seguradoras é o de responsabilidade civil facultativa veículos (RCF-V) para danos corporais e/ou materiais. Essa cobertura auxilia quando o mototaxista se envolve em algum acidente que causa danos a terceiros.

Um serviço que todo os motociclistas que trabalham com fins comerciais devem prestar atenção é o reboque. Isso porque a maioria das seguradoras oferecem a cobertura de forma gratuita apenas dentro de uma quilometragem determinada. Então, para quem trabalha com sua moto, é importante verificar qual é o limite e contratar uma extensão de quilometragem, caso ache necessário.

Por fim, a assistência 24h também é algo imprescindível no plano da seguradora. Verificar se ela consta dentro do seu seguro e quais serviços estão incluídos é muito importante. Reboque, troca de pneus e guincho são coberturas importantes para se ter em qualquer hora.

Uso comercial

Apesar de todos os benefícios citados acima, um outro ponto merece atenção do mototaxista. Ele deve procurar seguros que façam cobertura para motos que são usadas para fins comerciais. Isso deve ser um filtro para busca do seguro ou deve ser informado antes da contratação do serviço uma vez que as motos para estes fins são utilizadas bem mais do que as usadas apenas para lazer. Sendo assim, estão muitos mais expostas à riscos. Dessa forma, podem acionar o seguro muito mais vezes e isso nem sempre é vantajoso para a seguradora. Logo, é primordial contratar um seguro que inclua esta categoria.

Simulação

No site da Bidu, plataforma que recomenda, compara e contrata seguros, é possível fazer uma simulação de contrato.

A moto mais vendida no primeiro semestre do ano passado foi a Honda CG 160. Simulando um seguro completo na Suhai Seguradoras com franquia ampliada e coberturas para passageiros. Assim, o plano sai por R$2.053,38, parcelado em 12x.